Piscinas

Veja como é fácil fazer a automação de piscinas.

Hoje em dia, a automação de piscinas, é a maneira mais prática pra manter uma piscina com água limpa e desinfetada. O processo é muito simples e garante 50% menos esforço com mão de obra. O que é uma solução para aquela falta de tempo e a dificuldade em encontrar mão de obra especializada, que podem ser uma grande dor de cabeça para quem já possui ou deseja instalar uma piscina em casa.

Um sistema de automação de piscinas conta com poucos componentes, de forma que quem já possui um sistema de filtragem com o filtro, areia filtrante e a bomba, deverá adquirir apenas um painel de automação e um clorador.

Como é feito o processo de automação de piscinas?

Primeiro, instala-se um painel de comando com timer para ligar e desligar automaticamente a bomba do filtro. O tempo de funcionamento da bomba dependerá do quanto a piscina estará sendo usada e de sua posição relativa quanto a folhas, insetos, poeira etc.

De forma geral, filtrando-se a água da piscina por um período diário de 2 a 4 horas é possível mantê-la limpa e cristalina com grande economia de energia elétrica, uma vez que a bomba estará funcionando por um período curto de horas sem necessidade de ligá-la e desligá-la manualmente.

Ao mesmo tempo em que a bomba estiver funcionando, a água será clorada, sem manuseio humano. Assim, ficará faltando apenas a aspiração da piscina para a limpeza do seu fundo, o que deverá ser efetuado uma vez por semana, manual ou automaticamente, com o uso de limpador de fundo à escolha.

Automação de piscinas

Automação de piscinas

Sistema de automação da Epex

O sistema de automação da Epex é simples: o painel elétrico (figura 1) comanda a eletrobomba através do timer, que fará com que ela ligue e desligue no tempo desejado conforme o uso da piscina.

Figura 1 - Painel Elétrico

Figura 1 - Painel Elétrico

Ao mesmo tempo em que água estiver sendo filtrada, com a bomba em funcionamento, ela é também clorada através do dissolvedor de pastilhas. A Epex fabrica 3 modelos do dissolvedor de pastilhas com capacidade para 5, 10 e 20 tabletes de 200g; pode-se utilizar dicloro, tricloro ou cloro multiação.

Existem outros tipos de sistemas de desinfecção, em que se utiliza cloro líquido ou granulado. Neste caso, o equipamento necessário é o clorador tipo ejetor (figura 2) ou o clorador tipo diafragma (figura 3).

Figura 2 - Dosador de cloro tipo ejetor

Figura 2 - Dosador de cloro tipo ejetor

Figura 3 - Bomba dosadora de cloro tipo diafragma

Figura 3 - Bomba dosadora de cloro tipo diafragma

Em piscinas públicas, onde exige-se um tratamento mais rigoroso, o ideal é instalar um sistema ORP com 3 bombas dosadoras e um controlador CLP. Este sistema possui sensores que acionarão estas 3 bombas automaticamente quando se fizer necessário (cada uma para dosagem de soluções diferentes: cloro, pH+ e pH-). As soluções são preparadas e acondicionadas em tinas plásticas próximas do sistema. Sistemas de desinfecção por UV (figura 4) e ozônio, podem ser acoplados ao processo de cloração.

Automação de piscinas - Figura 4 - Esterilizador UV

Figura 4 - Esterilizador UV

Para o sistema de aquecimento, não se deve utilizar a mesma bomba do sistema de filtração, sendo necessária uma bomba separada para esta finalidade. O processo de automação deste sistema dependerá do equipamento instalado: aquecimento com bombas de calor, a gás e/ou solar.

As bombas de calor normalmente possuem termostato, portanto basta regulá-lo na temperatura desejada, que ele enviará o sinal para que a bomba de recirculação do equipamento seja ligada.

No caso de sistema de aquecimento a gás, o painel de comando deverá conter um termostato cujo sensor esteja acoplado à tubulação para piscina. Conforme à temperatura desejada, o sensor enviará o sinal para o funcionamento da bomba de recirculação da água que gerará um fluxo em direção aos aquecedores a gás por um sistema de bypass (os aquecedores modernos, próprios para piscinas, possuem um sistema que aciona a chama apenas quando há fluxo de água nas serpentinas). Com a água finalmente aquecida conforme a temperatura indicada no termostato, o sensor enviará o sinal para que a bomba de recirculação seja desligada e, assim, a chama do aquecedor é apagada.

No processo de aquecimento solar, a bomba de recirculação, comandada por um termostato similar ao do aquecimento a gás, será desligada caso a temperatura escolhida para a água seja atingida. Este sistema, que depende do sol para funcionar, pode necessitar de complementação com apoio de sistema de aquecimento a gás ou com bombas de calor.

É ideal que o painel de automação seja o mesmo para comandar a filtração e o aquecimento da piscina, pois desta forma, todos os sistemas são alimentados com apenas um ponto de entrada de energia.

Agora que você já sabe como é fácil fazer a automação de piscinas, porque não automatizar a sua?

Saiba mais em:www.engeprol.com.br

Related Posts

Sem comentários

Deixe sua mensagem

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.